Phuket, Ko Phi Phi e Krabi – A praia e as praias da Tailândia…

Se você chegou até aqui pelo google, não deixe de passar por este post para entender como planejar o seu roteiro pelo sudeste asiático…

Já ouvi que para ir em boas praias não era necessário sair do Brasil. Seria um desperdício de tempo, então, se locomover até o outro lado do mundo apenas para ir a uma… praia? A resposta, definitivamente, é não!

Não se trata aqui, é claro, de qualquer praia. Tratamos de algumas das praias mais idílicas do mundo.

Apenas para situar o leitor. O roteiro passou por Phi Phi Island (lê-se Pi Pi) e Krabi (pronuncia-se Krabí). A passagem por Phuket (fala-se Pukê) foi apenas para pegar o barco para Phi Phi Island.

E porque, a pergunta que não quer calar, nobre blogueiro, o senhor não quis passar num dos destinos MAIS visitados da Ásia? O senhor estava maluco?

Mas é claro que não. Explico. Como em todas as viagens, o tempo foi o fator determinante. Não tinha nada contra Phuket (obviamente) mas os relatos do binômio degradação/prostituição me afastaram de lá. Dizem que as praias são bonitas, mas que o turismo, por ser excessivamente explorado na área há muitos anos, tornou o local muito cheio e complicado. Esses foram os motivos que me tiraram de lá.

Já comentei num outro blog de viagens que, na minha opinião, não se deve gastar dias nem em Phuket e nem em Krabi. Se eu tivesse 4 dias de viagem para gastar em praia, ficaria os 4 em Phi Phi Island e só usaria Phuket e Krabi como pontos de embarque. Mas eu não sou dono da verdade, então cada um faz o que achar melhor. Caso alguém discorde, a caixa de comentários está aberta.

Como disse, usei Phuket apenas para pegar o ferry até Phi Phi Island. Saí do aeroporto direto para o píer, portanto não tenho conhecimento da cidade, infelizmente.

O ferry é fácil de pegar e tem diversos horários. É grande e confortável. Se o seu objetivo for apenas usar como base, sugiro Phuket. O ferry de Krabi (pegamos na volta) é menor e mais apertado. O tempo de viagem é o mesmo, então isso não é diferença. E o custo de táxis é similar. Em resumo, vá e volte por Phuket, que será mais confortável.

Compramos os tickets no aeroporto e não me arrependi. A ida foi direto de Phuket, com hora marcada. Eles te vendem um voucher com horário, que você troca com o pessoal do barco. Pagamos 400 Bahts cada um. Em Phi Phi Island, era possível encontrar a volta por 300 ou 350 Bahts, direto no píer. Assim, compre a ida no aeroporto de Phuket (pagando mais ou menos esse preço) e a volta, deixe para comprar no píer de Phi Phi. Táxis custam uns 400/500 bahts dos aeroportos até os píeres…

Phi Phi Island

Esse é o filé visual de toda a viagem. Phi Phi Island é o segundo lugar mais lindo do mundo em que estive (o primeiro é Bora-Bora). É espetacular! Lindo mesmo.

Vou colocar umas fotos da chegada para dar uma impressão do local:

(Não são fotos tiradas com câmera profissional e nem com nenhum tipo de filtro. São básicas tiradas de câmera comum ou iphone).

Aqui na praia não tem muito o que ficar falando. Ficamos no excelente Outrigger Phi Phi Island (lindo hotel, mas com serviço muito ruim) que nos trouxe toda a comodidade. Tiramos o tempo para descansar.

Existem alguns passeios típicos para se fazer na região. Há o passeio das ilhas (James Bond, Chicken Island) e o da Maya Bay, que é a famosa praia do filme “A Praia”. As duas primeiras são melhores de se fazer de Krabi e Phuket, pois são mais próximas. De Phi Phi Island são distantes e caras. Optamos por não fazê-los.

O da Maya Bay é clássico e imperdível. Além dela, o passeio inclui uma outra baía lindíssima, típica de filmes de Hollywood.

O único problema da Maya Bay são as multidões de chineses que invadem a praia. Muitos tours de um dia são organizados de Krabi e Phuket, assim a praia é lotadíssima. Aí vamos aos fatos:

(i) uns dizem para se ir logo cedo para aproveitar que a praia está mais vazia (as excursões saem das cidades pela manhã e chegam à Maya Bay por volta de 11 horas da manhã). Tá, até pode ser para quem é rato de praia. O problema é que amanhece tarde (tipo 7 da manhã) e o sol vai ficar mais a pino lá pelas 11 horas, meio dia. Assim, ir à praia vazia é perder o charme que o sol vai dar no mar, tornando-o mais azulado. Isso não funciona.

(ii) outros dizem para se ir ao meio dia. Foi o que fizemos. Saímos tarde do hotel (11 horas, horário não muito recomendado) e chegamos lá por volta deste horário. Posso dizer que estava cheio, mas não lotado. Se tivéssemos esperado um pouco mais (saído meio dia) pegaríamos a hora em que a turma das excursões já teria ido embora. Mesmo assim, apesar de lotada, acredito que fizemos um bom negócio e o passeio foi bom.

A grande diferença desta praia para as demais é o fato de ela estar circundada de montanhas e com um acesso por uma baía estreita. Isso a torna fechada e bela. Isso sem contar a cor da água, que é de matar.

Vamos às fotos?

O passeio, de longtail, custou 1500 Bahts o casal. Fomos num barco só nosso, fechado na hora, na vila que fica atrás do hotel. O passeio tinha 4 horas de duração e foi mais ou menos isso que tomou. O barqueiro foi muito simpático e tentou sempre nos mostrar os melhores lugares. Além disso, ainda quis passar no centro da ilha (píer) para que pudéssemos fazer compras. Dispensamos, mas estava incluído no passeio.

Além desse passeio, ficamos curtindo o hotel, que é ótimo. Para quem for ficar lá (recomendo) há uma vila atrás com alguns restaurantes e bares. Muito típico e bonito.

Krabi

Nosso passeio em Krabi se resumiu ao maravilhoso hotel Nakamanda. Se o seu objetivo for descansar, ficar de pernas pro alto sem fazer nada, recomendo. Ele fica numa praia não tão bela chamada Klong Nuang. Só vale mesmo pelo hotel.

A praia famosa de Krabi chama-se Ao Nang e nos disseram que havia um centrinho de compras por lá e uma praia bonita. Os resorts ficam mais afastados e numa praia que, se não tivéssemos conhecido Phi Phi Island, acharíamos bonita. Como fizemos o passeio na volta da ilha, ficamos até decepcionados com o visual, que em nada se parecia com o que tínhamos visto. Assim, como já disse antes, minha sugestão é cortar as cidades e focar na ilha. Mas eu não sou dono da verdade, repito.

Fotos?

Aí o leitor mais cri-cri vai dizer: mas você tá de má vontade porque não conheceu as ilhas (James Bond e Chicken Island) e nem a praia de Ao Nang, com suas lojinhas e etc?

Pode ser que sim. Mas digo o seguinte: o que vimos em Phi Phi Island não nos permitia ficar dando muitas voltas. A praia em frente ao nosso hotel era tão estonteantemente bela que, sinceramente, não tivemos a menor vontade de andar. Além disso, os deslocamentos são longos, os ferrys demoram tempo e minha esposa detesta barcos. Assim, temos um acordo de evitá-los sempre que possível. Caso o seu intuito seja outro (baladas e festas, por exemplo) pode ser que goste de Phuket ou de Krabi. Para mim, quando voltar lá (e isso ocorrerá um dia) serão apenas pontos de passagem para o ferry para Phi Phi Island…

Anúncios