Zurique – não vá para Zurique.

Bom, vamos começar o primeiro dos posts pequenos (o outro será sobre Genebra) falando de Zurique.

Não vá para Zurique, é sério. Na minha opinião só vale passar lá se for para chegar ou sair da Europa pela Suíça. Para os teimosos (como eu mesmo fui) que insistirem em ir para o lugar, aí vai um breve relato do que fazer por lá.

Já disse no post de St. Moritz que na Suíça eles respeitam esse papo de guardar o domingo. A ponto de em Zurique, maior cidade e mais importante, só ter um único mercado aberto e na Hauptbahnhof (estação central de trem). Estava lotado, como só poderia ser.

O passeio clássico de Zurique é descer a Bahnhofstrasse vindo da Hauptbahnhof, supostamente conhecida com a rua mais cara do mundo. Aquele bando de lojas carésimas e joalherias maravilhosas estão todas lá. A rua acaba no lago, onde os zuriqueanos (sei lá se é assim que se escreve) passam o seu domingo curtindo…

No meio dela está a coisa mais legal de Zurique: a Confiserie Sprüngli (que não é nada demais). É uma confeitaria chique, requintada, com bons doces. Comi um por lá (nem me lembro qual) e digo que não era nada inesquecível. Talvez seja meu paladar, mas, enfim.

Almoçamos no Zeughauskeller, que também fica na Bahnhofstrasse. Ali aconteceu a coisa mais surreal da viagem: fomos furtados. Pois é, vacilamos com nossa câmera, esquecemos sobre a mesa e ela “sumiu”. Não me cabe acusar ninguém, mas só o garçom passou na mesa após sairmos…

Pois bem, perdemos grande parte do dia em Zurique atrás dessa câmera. Fui até a polícia, choraminguei horrores no restaurante, mas a sutileza e ranzinzisse suíças nos superaram. Eu disse à policial que eu jamais esperava que um negócio desses acontecesse em Zurique e ela me disse que isso era razoavelmente comum por lá, principalmente depois que caíram as fronteiras da União Europeia. Fato foi que a câmera dançou e o resto da viagem foi com a câmera do meu irmão. Por sorte eu tinha um backup das fotos de Berlim e Roma, mas não de Veneza e St. Moritz. Enfim, passou…

Lago no fim da Bahnhofstrasse

Barcos que o pessoal usa para lazer por lá

Essa aí de cima é a St Peter Kirche

Eu gosto muito de igrejas, mas na Suíça, só por fora. As igrejas protestantes não possuem adornos então são meio sem graça por dentro. Pelo nome essa nem devia ser protestante, mas não entramos, então não sei como era…

Talvez se tivéssemos ido num dia de semana a cidade se tornaria mais interessante. O que posso dizer é que um domingo em Zurique é um saco.

Como fomos para Genebra depois (numa terça-feira, portanto dia útil) e chegamos com a cidade ainda aberta, posso dizer que também não achei nada demais. Em comparação, se tivéssemos ido a Zurique num dia útil, provavelmente seria mais legal do que foi, mas não muito. De todo modo, foi totalmente dispensável.

Ainda havia alguns lugares para se visitar, como a FIFA, por exemplo. Mas nem estava no meu roteiro e era fora de mão de onde estávamos. Com muita raiva pela câmera perdida, pusemo-nos a dormir, desejando o quanto antes ir embora.

Ali em Zurique mudamos o nosso meio de transporte. Saímos do trem pontual e pegamos algo menos rigoroso com o tempo. Alugamos um carro para ir até Interlaken e de lá para Genebra. Valeu a pena. Estávamos em quatro pessoas e essas passagens de trem custariam uma fortuna. O único cuidado é que um carro é inviável em Zurique, Genebra ou qualquer lugar na Suíça que não tenha estacionamento incluído (nada tem, só as cidades pequenas). Nosso hotel em Interlaken era “parking free” então optamos pelo carro apenas para fazer os trajetos entre as cidades.

Na Suíça as ruas todas são marcadas para estacionamento, existem parquímetros EM TODO LUGAR (até na menor rua da menor cidade) e custa os olhos da cara parar esse carro. Em muitos deles apenas os moradores da região possuem autorização para estacionar.

Enfim, o carro é uma boa para se deslocar entre cidades, mas só compensa se seu hotel tiver estacionamento incluído e você andar de ônibus ou tram por lá. De outro modo, vai ficar muito caro e é provável que o trem acabe saindo mais em conta.

Além disso, em muitos hoteis, eles dão o passe para você usar o transporte coletivo da cidade gratuitamente durante sua estadia…

De maneira geral, espere gastar na Suíça tudo o que economizou no resto da viagem. E prepare-se para economizar no restante, porque vai estourar seu orçamento. Os preços na Suíça são surreais!

Posso dizer que visitei Zurique porque era um sonho. Obviamente que é uma cidade organizadíssima, bem cuidada e funcional. Só não tem muitos atrativos turísticos. Na minha opinião, se quiser visitar o país, vá para alguma cidade alpina. Ali é que está o charme.

Tchau!

Anúncios